O Oriental bateu o Mafra por 0-1 na 12.ª jornada da fase de subida do Campeonato Nacional de Seniores, Zona Sul. O golo madrugador de Pedro Alves (3’) e a solidez defensiva da turma de Marvila foram fatores decisivos na obtenção de três pontos que mantêm o Oriental no segundo lugar da tabela classificativa com os mesmos pontos do líder Benfica de Castelo Branco e mais cinco que o terceiro classificado Leiria, numa altura em que existem apenas duas finais por disputar. Mafra, Sertanense e Ferreiras estão fora das contas da subida.

As formações do Mafra e do Oriental subiram ao relvado do Campo Dr. Mário Silveira ao som da música “We are the champions” dos Queen, mas foi apenas o Oriental quem teve uma entrada em jogo digna de um campeão.

 
O defesa-esquerdo Carlos Alves em disputa com um adversário
 
 
 

Decorria o terceiro minuto da partida quando na sequência de uma jogadadesenrolada pelo flanco esquerdo Sebastião Nogueira isolou Pedro Alves que com classe picou a bola por cima do guardião Godinho. Estava feito o 0-1 que não se viria a alterar até ao final do encontro.

Pressionado por jogar em casa e pela obrigação de ganhar para se manter na disputa do assumido objetivo da subida de divisão, o Mafra teve desde o início o esférico mais tempo em seu poder mas só conseguiu incomodar Mota pela primeira vez à passagem do minuto 24’, já bem depois de Anderson com um potente remate rasteiro ter obrigado Godinho a efetuar uma defesa apertada (14’). O conjunto da casa mostrou-se pressionante na segunda metade da primeira parte e teve a sua melhor chance para marcar ao minuto 26’ quando Tiago Rente respondeu com um pujante cabeceamento a um canto batido do lado direito do ataque mafrense, uma bola que levava selo de golo não fosse a magnífica intervenção de Mota que voou para a defesa da tarde.

O segundo tempo decorreu com o Mafra a alargar progressivamente a sua percentagem de posse de bola, uma estatística todavia insignificante face à incapacidade da equipa da casa de superar o sempre organizado e coeso quarteto defensivo do Oriental. Cientes do seu valor e com apurados níveis de concentração ao longo de todo o encontro, os guerreiros de Marvila dispuseram de duas oportunidades para matar o jogo por intermédio de Tom, que depois de ir de uma área à outra com a bola em sua posse rematou ao lado (65’), e de Anderson, jogador que após jogada individual pela esquerda fez um chapéu a Godinho que só parou na trave da baliza do guarda-redes mafrense, naquelas que foram as mais flagrantes ocasiões de golo registadas na derradeira etapa do desafio.

Neutralizada pela solidez tática exibida pelos pupilos de João Barbosa, a formação do Mafra começou com o desenrolar do jogo a procurar outros caminhos para chegar ao empate e o recurso às bolas bombeadas para as imediações de Mota tornou-se cada vez mais constante sem no entanto possuir efeitos práticos. Com as linhas mais recuadas e um elevado sentido de solidariedade entre todos os seus jogadores, o Oriental teve a capacidade de anular com relativa tranquilidade todas as investidas ofensivas do adversário e levar para Marvila uma vitória justa e inequívoca.

Para além do papel fundamental ocupado pela exemplar organização tática demonstrada dentro das quatro linhas, este foi também um triunfo alcançado muito pela capacidade de luta e espirito de sacrifício de todos os guerreiros de Marvila que perante uma das melhores equipa da competição  e sob um sol escaldante e o ambiente hostil típico de um jogo disputado fora de casa deixaram tudo em campo em prol da defesa das cores do Oriental. Existem agora mais duas finais pela frente e muito por disputar. A próxima jornada desta fase de subida do CNS, zona sul, tem lugar no próximo dia 11 de maio às 17h00 com o Oriental a receber no Campo Eng.º Carlos Salema o Loures e o líder Benfica de Castelo Branco a deslocar-se ao reduto do terceiro classificado UD Leiria. Todo o apoio da família orientalista será fundamental para a conquista de mais uma vitória.

O sonho está vivo!
Oriental: Mais que um Clube, uma Paixão.