Formado no Oriental e jogador da casa há mais de 12 anos, Mota foi dos jogadores mais efusivos nos festejos da subida de divisão. O empate contra o Ferreiras (1-1) carimbou o regresso do COL aos escalões profissionais 25 anos mais tarde e o guardião de 27 anos fez questão de “aproveitar ao máximo” cada segundo das celebrações desta grande conquista.

 

“Este jogo foi a imagem da nossa época: sofrer até ao último minuto, combater contra tudo e contra todos e no final chegar à vitória. É um dos dias mais felizes da minha vida, sermos acolhidos pelos nossos adeptos no Campo Eng.º Carlos Salema com uma receção maravilhosa como esta é uma sensação indescritível, nunca irei esquecer este momento”, garantiu o guarda-redes e sub-capitão do Oriental.

 
Imagem da receção à equipa no Campo Eng.º Carlos Salema
 
 


Mesmo no seio da euforia dos festejos, Mota não esqueceu a final que há ainda por disputar e garantiu que a ambição deste grupo não se fica pela subida à II Liga. “Já ficámos na história do Clube, agora queremos ficar na história do futebol português. Queremos ser falados ao mais alto nível através da conquista do título de campeões nacionais”, concluiu. 

 

Recorde-se que na final absoluta do Campeonato Nacional de Seniores o Oriental vai defrontar o Freamunde (primeiro classificado da zona norte) pelo título de campeão nacional. A partida será discutida no dia 10 de Junho, feriado nacional, em local e hora ainda a definir.

 

O sonho está vivo!

Oriental: Mais que um Clube, uma Paixão.