Apenas os golos faltaram à boa tarde de futebol de domingo protagonizada por Oriental e Chaves (0-0) no Campo Eng.º Carlos Salema. A partida referente à 10.ª jornada da II Liga foi de sentido único com a turma de Marvila a dispor de ocasiões flagrantes para se adiantar no marcador através um claro ascendente sobre o adversário que só por manifesta infelicidade não se traduziu na tão merecida vitória.

   
 

O Oriental entrou em campo balanceado para o ataque e logo aos 6’ minutos ficou perto do golo quando Tom atirou forte fora da área e Saleiro, após defesa incompleta do guarda-redes Paulo Ribeiro, fez a recarga já com pouco ângulo para a malha lateral da baliza flaviense. A coesão do meio-campo orientalista nunca permitiu que o Chaves se aventurasse no ataque e aos 22’ minutos foi Miguel Paixão a criar perigo com um livre direto colocado que obrigou Paulo Ribeiro a mais uma defesa de recurso. Pouco depois (25’) foi a vez de Saleiro escapar à marcação dos centrais e junto à linha de fundo cruzar para Leonel que por escassos centímetros não chegou ao esférico, naquele que foi o último lance a assinalar no primeiro tempo.

Na etapa complementar o enredo foi semelhante e a superioridade do Oriental manteve-se constante em todos os momentos do jogo. Logo os 56’ minutos Roncatto disparou à entrada da área uma bola que levava selo de golo, mas o ligeiro desvio do defesa Ícaro evitou males maiores para o conjunto nortenho. Num encontro marcado por uma arbitragem tendenciosa de Paulo Baptista, juiz que deixou passar em claro uma agressão de Arnold e Mota, foi ao cair do pano que os Guerreiros de Marvila criaram as suas duas últimas oportunidades para desfazer a igualdade que teimava em se manter.

Ao minuto 90’ Henrique Gomes já no interior da área tentou o chapéu a Paulo Ribeiro que, batido, viu a bola beijar caprichosamente a face superior da trave antes de sair. Já no último suspiro (90+5') surgiu a prova de que o enguiço ia perdurar até ao apito final quando Hugo Grilo aproveitou um canto de Córdoba para cabecear forte na direcção da baliza, num remate interceptado por uma enorme defesa do guardião Paulo Ribeiro.

O empate a zeros com o Chaves é injusto e escasso para o Oriental por tudo o que fez durante os 90 minutos contra uma equipa que apesar de ser candidata à subida de divisão apenas por uma vez chegou à baliza de Mota, através de um livre direto frouxo do médio Patrão encaixado sem dificuldades pelo camisola 12 da formação de Marvila.

Com este resultado o Oriental alcança os 8 pontos na II Liga. O próximo jogo está agendado para o domingo, 12 de Outubro, às 16h00 contra o Aves no reduto adversário, em jogo em atraso e referente à 9.ª jornada da competição.