Tarde de golos do Campo Eng.º Carlos Salema. Com quatro golos nos seus primeiros quatro remates à baliza, o Sporting B bateu o Oriental por 3-4 em Marvila mas não se livrou de um final sofrido perante os Guerreiros que nunca deixaram de lutar. Mauro Bastos, Roncatto e Bruno Aguiar marcaram os golos que exemplificaram a enorme alma da formação orientalista.

 

Jogo de contornos particulares o disputado nesta solarenga manhã de domingo no Carlos Salema. O primeiro tempo do encontro foi dominado na sua totalidade pelo Oriental mas estranho foi quando, já depois de Roncatto (2’) e Tom (26’) ameaçarem as redes de Luís Ribeiro, Ryan Gauld Sacou da cartola um remate de meia distância que inaugurou o marcador à passagem do minuto 29. Após o tento inesperado o Oriental manteve a postura atacante e na sequência de uma mão na bola de Tobias Figueiredo dentro da área Mauro Bastos converteu com êxito o castigo máximo que restabeleceu a igualdade (34’).

 
 
 


Na etapa complementar o filme da partida não se alterou em grande medida, a não ser pelo superior volume de golos. Na segunda ocasião em que se aproximou da baliza de Mota o Sporting B fez o 1-2 por Sacko (51’), sorte bem diferente da de Leonel que em boa posição cabeceou ao lado da baliza leonina (54’). A saga prosseguiu com os remates de Daniel Almeida (64’) e Mauros Bastos (66’) a passarem muito perto do retângulo mágico, ao passo que Cissé não perdoou e dilatou o parcial para 1-3 quando o cronómetro marcava 67 minutos. Oito minutos mais tarde Iuri Medeiros fez o último tento da turma de Alvalade e consumou assim o improvável registo de quatro golos em quatro remates.

 

Mesmo perante a injustiça do resultado, os Guerreiros de Marvila fizeram jus ao cognome que lhes é atribuído e correram com todas as suas forças atrás do prejuízo. Recém-entrado em jogo, Bruno Aguiar deu o mote ao espírito batalhador com um remate que desviou nas costas de Evandro Roncatto antes de entrar (80’). O mesmo Bruno Aguiar reavivou a esperança orientalista quando a 6 minutos dos 90 atirou rasteiro para o 3-4, um revés para a formação leonina que até ao apito final se viu obrigada a sofrer encostando-se na sua zona defensiva. Com a preciosa ajuda do antijogo praticado de forma consequente pelo guarda-redes Luís Ribeiro através da simulação sucessiva de lesões, o tempo lá passou e o encontro terminou com a sensação eminente de que se durasse mais uns minutos o resultado poderia ser outro.

 

Muito embora derrotado, o Oriental deixou uma ótima imagem neste encontro frente a um Sporting B com enorme qualidade individual. As ausências por lesão ou castigo de todos os laterais do plantel obrigaram João Barbosa a adaptar Pedro Alves e Ballack às faixas laterais defensivas e condicionaram a estratégia da formação de Marvila que mesmo perante uma desvantagem de 3 golos nunca baixou os braços e com uma atitude de louvar chegou a ficar muito perto do empate.  

 

O Oriental volta a entrar em campo no próximo dia 14 de Dezembro às 11h15 contra o Oliveirense no Estádio Carlos Osório, em Oliveira de Azeméis, num encontro com transmissão televisiva em direto na SportTV.