Diz-se que a Taça de Portugal é uma festa e quem esteve presente no Campo Eng.º Carlos Salema nesta tarde de domingo decerto ficou agradado com o bom espetáculo de futebol que Oriental e Farense protagonizaram. Um jogo emotivo e bem disputado que terminou com a vitória (3-2) sofrida mas justa dos Guerreiros de Marvila, consomada por Daniel Almeida já em tempo de prolongamento.

 

O Oriental entrou forte no jogo e até se podia ter adiantado no marcador logo aos 7 minutos num cabeceamento de Leonel intercetado por uma grande defesa do guardião Bento. Num lance em tudo idêntico ao anterior, foi contra a corrente do jogo que Adelaja inaugurou o marcador num golpe de cabeça que não deu hipóteses a Janota (14’). O Oriental reagiu de imediato à desvantagem e aos 38 minutos chegou ao empate através Henrique Gomes. O camisola 23 do conjunto grená e branco aproveitou da melhor forma uma defesa incompleta do guarda-redes algarvio a remate de Tom e restabeleceu a igualdade com classe.

   
 


O segundo tempo começou com o Oriental ao ataque e logo aos 49 minutos Daniel Almeida fez o gosto ao pé na sequência de um pontapé de canto batido por Pedro Alves, colocando o Oriental pela primeira vez em vantagem no marcador. O encontro estava vivo e nenhuma das equipas desistia de ir à procura do golo quando Neca fez o segundo da formação algarvia na cobrança exímia de um livre direto (59’). Até ao término do tempo regulamentar o Oriental tomou conta das operações e balanceou-se para o ataque sem que no entanto Yago Fernández (67’) e Leonel (78’) conseguissem concretizar da melhor forma as oportunidades que tiveram ao seu dispor.

 

O prolongamento decorreu com o Farense em inferioridade numérica em virtude da expulsão por acumulação de amarelos de Harramiz (86’) e foi com naturalidade que o Oriental chegou ao golo da vitória. Kiki cometeu grande penalidade por mão na bola e Daniel Almeida converteu “à Panenka” o castigo máximo quando o cronómetro marcava 93 minutos. Até ao apito final o Farense apostou num futebol mais direto sem no entanto conseguir incomodar Ricardo Janota, ao passo que o Oriental dispôs ainda de mais algumas ocasiões para dilatar o marcador.

 

A vitória assenta bem ao Oriental pelo espírito combativo exibido pelos pupilos de João Barbosa ao longo dos 120 minutos de um jogo de nervos. O facto de ter conseguido virar o resultado face ao golo do Farense ainda no primeiro quarto de hora da partida atribui um mérito superior à equipa lisboeta e a todos os adeptos que em momento algum deixaram de acreditar que a vitória era possível.

 

Com este resultado o Oriental assegura a passagem à 3.ª eliminatória da Taça de Portugal cujo sorteio se realizará no dia 2 de Outubro na sede da Federação Portuguesa de Futebol. O próximo encontro do Oriental está agendado para o próximo Domingo, 5 de Outubro, no Campo Eng.º Carlos Salema contra o Chaves, a contar para a 10.ª jornada da 2.ª Liga.