Tarde quente no Campo Eng.º Carlos Salema com o empate (2-2) entre Oriental e Portimonense em partida a contar para a 26.ª jornada da Segunda Liga. Depois de uma primeira parte menos conseguida, os Guerreiros de Marvila mostraram toda a sua raça na etapa complementar e anularam a desvantagem por intermédio de dois grandes golos de Hugo Grilo e Henrique Gomes, num jogo que ainda contou com uma expulsão para cada lado.

 

O desafio era contra um dos candidatos à subida de divisão e a entrada do Oriental em jogo não foi a mais auspiciosa. O conjunto grená e branco apresentou-se hesitante no momento do último passe e essa indefinição teve as suas repercussões aos 14 minutos num lance de contra-ataque em que Fabrício tabela com Fidélis para logo de seguida inaugurar o marcador a favor da turma algarvia.

 
 
 


O Oriental respondeu através dos remates de Leonel (18’) e Mauro Bastos (24’) mas o Portimonense soube materializar em golo as poucas oportunidades que teve e dilatou a vantagem ao minuto 32 por Rafinha através de um remate em arco à entrada da área. Em cima do intervalo Tiago Mota atirou rasteiro ao lado da baliza de Ricardo Ferreira, mas o exagerado parcial do marcador não se alteraria antes do descanso intermédio.

 

Na etapa complementar o contexto do jogo alterou-se por completo e os Guerreiros de Marvila deram uma demonstração inequívoca da força, crença e espírito de união que os caracteriza. Aos 50 minutos João Pedro efetuou um cruzamento teleguiado para os pés de Bruno Aguiar que à boca da baliza falhou o alvo, mas o melhor ainda estava para vir. Na cobrança de um livre direto descaído para o lado direito, Hugo Grilo desferiu um pontapé colocadíssimo ao canto superior direito da baliza algarvia e deu o mote para a reação orientalista (56’).

 

Uma dúzia de minutos mais tarde, Henrique Gomes deu seguimento ao festival de golos espetaculares no Campo Eng.º Carlos Salema e com um pontapé fulminante à entrada da área deu o empate à equipa lisboeta (68’). Com o passar dos minutos o jogo endureceu e ausência de advertências por parte do árbitro da partida, Iancu Vasilica, permitiu que as ocorrências se agravassem.

 

Depois da cotovelada de João Paulo na face de Bruno Aguiar e da palmada de um outro jogador do Portimonense sobre Tiago Mota passarem impunes, Mauro Bastos acabou por ver o vermelho direto ao 72 minutos após uma entrada mais ríspida e a partir daí a confusão instalou-se. Jogadores e dirigentes das duas equipas protagonizaram uma acesa troca de argumentos em pleno relvado e da desordem resultou a expulsão de Fidelis, avançado algarvio que arrisca agora uma pesada suspensão por toda a agressividade com que contestou a decisão da equipa de arbitragem.

 

Com os nervos à flor da pele, os minutos finais do encontro foram pautados por inúmeras faltas, muito coração e pouca cabeça. Aos 83 minutos Hugo Grilo esteve muito perto de bisar num livre direto em tudo idêntico ao que originou o seu primeiro golo mas desta feita o remate esbarrou nas malhas laterais. O Portimonense ainda esboçou uma resposta (inofensiva) por intermédio de Acácio com um remate que passou muito longe da baliza à guarda de Mota, mas o resultado estava mesmo consumado.

 

O empate penaliza o Oriental pelo superior número de oportunidades de golo criadas ao longo do encontro e pela segunda parte de alto nível realizada. A vitória teria assentado bem aos Guerreiros de Marvila por toda a vontade e garra exibidas nos derradeiros 45 minutos.

 

Com este resultado o Oriental mantém o 16.º lugar da Segunda Liga, contabilizando agora 33 pontos. O próximo desafio está agendado para o dia 14 de Fevereiro, sábado, às 15h00 contra o Farense, no Estádio São Luís.