O minuto 88 do jogo entre Oriental e Loures disputado no dia 11 de Maio em pleno Campo Eng.º Carlos Salema ficará para sempre na memória de Marco Botelho. Sob o efusivo aplauso das centenas de orientalistas presentes nas bancadas, o experiente guarda-redes de 38 anos entrou em campo para o lugar de Mota e realizou os últimos minutos do seu longo e triunfante percurso enquanto futebolista. “Foi o fim de uma carreira bonita e recheada de grandes momentos”, confidenciou Botelho de sorriso nos lábios na hora da despedida dos relvados.

“Vivi hoje um dia especial, daqueles que julgamos nunca acontecer. Infelizmente tem que haver um final e a grave lesão que contraí esta época impossibilita-me de continuar a fazer o que mais gosto. Ainda assim posso dizer que tive um final de carreira feliz num Clube que vai ficar sempre no meu coração. Passei  aqui  o meu primeiro  ano como sénior e quase duas décadas mais tarde termino neste mesmo campo o meu percurso, é gratificante que tudo isto se tenha passado num Clube com a dimensão do Oriental”, defendeu.

   
 

Garantindo que vai continuar a trabalhar no mundo do futebol, Botelho deu mais uma prova de toda a sua humildade e carácter fazendo questão de deixar neste momento delicado uma mensagem ao seu companheiro de posição nesta temporada. “O Mota tem todas as condições técnicas e humanas para atingir patamares muito elevados. Para mim foi um privilégio partilhar o balneário com ele durante este ano, a baliza do Oriental está muito bem entregue às mãos deste grande guarda-redes”, concluiu Botas, diminutivo pelo qual é conhecido pelos colegas de equipa.

Presente no início e no término da sua carreira, o Oriental presta a sua homenagem pública a Marco Botelho por todo o profissionalismo e dedicação com que sempre envergou ao peito o símbolo do nosso Clube.

O sonho está vivo!
Oriental: Mais que o Clube, uma Paixão.