Números excessivos os da vitória do Boavista sobre o Oriental (5-0) na partida da 2.ª Mão da 2.ª Fase da Taça da Liga disputada este domingo no Estádio do Bessa. Condicionado pelo grande número de lesões que tem assolado o plantel, o Oriental procurou bater-se de igual para igual contra um adversário do escalão máximo do futebol português e mesmo em desvantagem nunca baixou os braços até ao apito final.

Uma grande penalidade polémica de Hugo Grilo e sua consequente expulsão sentenciaram as aspirações do Oriental quando estavam decorridos 32 minutos de jogo.

   
 

A turma de Marvila entrou melhor na partida e esteve muito perto do golo logo aos 5’ minutos na sequência de um livre batido por Tom e desviado de cabeça por Hugo Grilo para uma enorme defesa do guardião Mika. Pouco depois, o Boavista na primeira vez que chegou à baliza orientalista inaugurou mesmo o marcador através de Uchebo, na recarga a um remate de Leozinho (9’). O Oriental reagiu e à passagem no minuto 20’ Henrique Gomes ficou muito perto de desviar ao segundo poste mais um livre de Tom, mas foi novamente a formação axadrezada a ter a felicidade de chegar ao golo por intermédio de Anderson, na resposta a um cruzamento da esquerda de Julian (23’).

O momento capital da partida surgiu aos 32’ minutos quando Hugo Grilo efetuou um carrinho deslizante dentro da grande área e desviou com o peito o remate de Leozinho que seguia em direção da baliza. O árbitro Tiago Martins entendeu que o toque do camisola 44 foi com o braço e expulsou-o com um cartão vermelho direto. Na conversão do castigo máximo, Leozinho fez o 3-0 que se manteve até ao intervalo.

Agora em desvantagem numérica, a etapa complementar apresentou-se desde início como uma dura batalha para o Oriental mas mesmo com um sector defensivo com dois jogadores adaptados às laterais (Pedro Alves na direita e Ballack na esquerda) os Guerreiros de Marvila recusaram-se a deixar de lutar em nome das cores do C.O.L.. Tom (48’) e Valdo Alhinho (56’) ameaçaram a baliza de Mika através de pontapés de meia distância que chegaram a obrigar o guarda-redes axadrezado a aplicar-se  a fundo, mas o esforço ofensivo do Oriental voltou a ser castigado por um contra-ataque do Boavista que culminou com o golo de Brito (68’). O jogo não terminaria sem que Ancelmo consumasse o 5-0 final na conversão de nova grande penalidade, desta feita cometida por Jaime Seidi já um minuto para além do tempo regulamentar.

Apesar deste resultado menos positivo e a consequente eliminação da Taça da Liga, fica para a História a participação memorável do Oriental na temporada da sua estreia absoluta na competição. Sendo assumido que o objectivo supremo é o campeonato, a passagem à 2.ª Fase da Taça da Liga e a eliminação apenas por um adversário com os argumentos próprios de uma equipa de Primeira Liga abrilhantam a prestação dos Guerreiros de Marvila, que perante todas as adversidades sempre se empenharam em defender a honra do Oriental.

O próximo encontro está agendado para o próximo domingo, 23 de Novembro, às 17h00 no Campo Eng.º Carlos Salema contra o Vitória de Setúbal, agora a contar para a 4.ª Eliminatória da Taça da Liga. O apoio de todos os orientalistas será, como sempre, fundamental.