Este domingo marca a estreia do Oriental em jogos oficiais no Campo Eng.º Carlos Salema na época 2017/2018 e logo num dérbi lisboeta com o Casa Pia. Os gansos aproveitaram o defeso para se reforçarem com clarividência em setores estratégicos do seu plantel e possuem agora uma equipa rotinada por força dos vários jogadores com muitos anos de casa, talentosa muito graças aos 5 atletas ex-Oriental presentes no plantel e com os índices de motivação em alta pela conquista do Torneio de Abertura da AFL e da vitória expressiva por 3-1 sobre o Lusitano VRSA da jornada inaugural do Campeonato de Portugal. O Oriental, por sua vez, não vai deixar de querer vencer. 

Tiago Zorro é o treinador que comanda as hostes casapianas desde a época passada e tem agora, provavelmente a ambição de subir de divisão. Na 1.ª jornada decorrida no passado fim-de-semana, Zorro apostou num sistema de 4-2-3-1 suportado pela experiência de um setor intermédio muito habituado a jogar em conjunto. João Coito, o homem das grandes penalidades, está no Casa Pia desde 2010 e assume a batuta no miolo do terreno em conjunto com Pedro Ganhão, centrocampista que à experiência dos seus 33 anos de idade junta já três épocas consecutivas no emblema de Pina Manique. A linha mais ofensiva do meio campo conta com Faísca descaído pela esquerda (com 26 anos jogou sempre no Casa Pia à excepção da época transata no Oriental) e o recém-contratado Telmo Gonçalves pela direita, um jogador de vocação mais ofensiva com veia goleadora que faz da velocidade a sua grande arma, para além de Tom (quem não se lembra dos seus tempos de grená e branco?) que alinha nas costas do ponta-de-lança. No eixo do ataque está Tino Santos, ponta-de-lança caboverdiano contratado ao Leixões que foi a primeira opção de Tiago Zorro, apesar de contar com a concorrência atenta no banco de suplentes de Moussa Cissé.

É no setor mais recuado que aparece o maior número de caras conhecidas em Marvila. Atendendo à jornada inaugural, Rafael Marques assume a titularidade da baliza dos gansos, na retaguarda de uma defesa também composta por João Oliveira à direita e Abel Pereira ao meio, todos ex-Oriental. Bruno Lourenço é o outro central e o jovem de 19 anos Rodrigo Moitas ex-Real SC fecha na lateral esquerda. Uma defesa que pela sua relativa baixa estatura pode atribuir alguma vantagem à formação de Marvila especialmente no capítulo das bolas paradas. 

A combatividade imprimida na zona central do terreno especialmente por João Coito, Pedro Ganhão, Faísca e Tom será o maior trunfo da Casa Pia e provavelmente o maior obstáculo a ultrapassar por um Oriental que terá, está claro, como objetivo fundamental a vitória. O empate fora de portas com o Pinhalnovense na primeira jornada integrou o processo que entrosamento coletivo e de interiorização das ideias do técnico António Pereira, pelo que é expectável que a equipa vá melhorando de dia para dia num plantel composto pelo misto de jogadores experientes com provas firmadas e de outros jovens talentos de grande qualidade. 

Dados lançados, será este o maior atrativo do encontro de domingo, 27 de Agosto, às 17h00 em Marvila: um clássico dérbi lisboeta em que duas equipas ferozes pela sua vontade de vencer vão medir forças naquele que se espera que seja um grande espetáculo de futebol.